GICON Contabilidade

NOTÍCIAS

< VOLTAR

20/11/2012Pesquisa aponta os itens do escritório que devem desaparecer em cinco anos

A rede social corporativa Linkedin aponta as rotinas e os equipamentos que devem deixar de existir na rotina de alguns ambientes de trabalho.

Se no seu ambiente de trabalho há um computador de mesa, um porta-cartão de visitas e você ainda usa trajes sociais prepare o seu coração! Uma pesquisa mundial elaborada pela rede social corporativa Linkedin mostra que equipamentos, rotinas e processos passarão por mudanças e darão lugar a novos costumes.

O prazo para essas mudanças é de cinco anos. Em empresas de Santa Catarina, itens como aparelhos de fax e telefones fixos começam a desaparecer dos ambientes de trabalho para dar lugar a novos hábitos, como trajes mais informais, cartões de visita virtuais e aparelhos com convergência de tecnologias.

Na Teltec Networkings, de Florianópolis, as novidades causam economia de tempo e dinheiro. Quando o empresário Rafael Araújo, diretor técnico, precisa conversar com os escritórios de Brasília ou Curitiba, usa um software que já garantiu economia e ainda traz o benefício de encontrar o colaborador em qualquer lugar.

— O investimento em tecnologia foi de R$ 8 mil e gerou uma economia na conta telefônica de 40%, caindo de R$ 6 mil para R$ 4,5 mil — explica.

A secretária da Teltec Marcella Gandolfi conta que o fax foi aposentado.

— Hoje, o serviço de fax é feito por uma multifuncional, que também digitaliza, faz cópias e ainda serve como telefone comum. A última vez que recebi o pedido de sinal de fax foi há dois meses — diz ela. 

Flexibilidade está na ordem do dia

Na Intelbras, empresa de São José que atua no mercado de telefonia e está entrando no segmento de computação, estas mudanças também já começaram. O gerente de Soluções, Elcio de Moura, diz que, na parte fabril, ainda se mantém o padrão de horários, mas nas áreas de apoio, como administrativa, comercial e vendas, a flexibilidade faz parte da rotina, não há mais hora exata para entrar e sair e o banco de horas foi adotado há cinco anos.

Esta ação tem levado a outras duas importantes mudanças: o traje deixou de ser tão formal. Com exceção de visitas ou reuniões em que a formalidade é exigida, a roupa do dia é a calça jeans e camisa de algodão que toma conta do ambiente. Cartão de visita é algo que ainda existe pela formalidade, mas que está com os dias contados, segundo a pesquisa.

Ter um computador para trabalhar e outro pessoal também está saindo de cena para que tudo seja feito em apenas um dispositivo. Na Teltec, aproximadamente 10% dos funcionários já usa o próprio notebook no trabalho. Quem trabalha na Intelbras também tem essa opção.

— Também oferecemos notebooks para os profissionais e permitimos que nossos colaboradores usem seus próprios dispositivos, em substituição ao computador de mesa, que agora só é usado por quem tem uma mesa fixa — detalha Moura, que está na empresa há dois anos e meio.

De acordo com outra pesquisa, elaborada pela Citrix, a redução no número de funcionários que ficam no escritório faz parte de uma tendência global. Em todo o mundo, 24% das empresas já adotaram os estilos móveis de trabalho. Até meados de 2014, 83% das empresas devem abraçar o novo modelo flexível de trabalho. Pelo visto, é hora de fazer uma foto dos materiais em extinção e guardar como recordação. Pelo menos, enquanto o porta-retrato existir.

O que vai sair de cena

Veja quais são os 10 itens e tendências de escritório que estão se tornando raros e podem até desaparecer nos próximos cinco anos, de acordo com os profissionais brasileiros:

1º) Máquinas de fax - 81%
2º) Padrões de horário de trabalho - 62%
3º) Gravadores de fita - 48%
4º) Computadores de mesa - 41%
5º) Trajes formais de trabalho (terno, gravata, etc.) - 35%
6º) Porta-cartões de mesa - 29%
7º) Um escritório com porta - 26%
8º) Estações de trabalho - 25%
9º) Telefones de mesa - 23%
10º) Cartões de visita - 17%

Fonte: Linkedin

Outras Notícias